Você é daqueles que ainda enxerga o dono de uma empresa ou um gerente / supervisor como aquela pessoa que pede cafezinhos enquanto lê o jornal do dia com os pés sobre a mesa? Ou você trabalha todos os dias pensando em alcançar esse objetivo? Se for o caso, você não poderia estar mais desatualizado. No mundo globalizado e dinâmico dos dias atuais, a figura do chefe perdeu força e vem sendo substituída rapidamente pela figura do líder.

O papel do líder é o de conduzir a equipe ao sucesso, mesmo que para isso seja preciso se sacrificar ou trabalhar muito mais do que os seus subordinados. Então, nada de ficar sentadinho na cadeira e vamos colocar as mãos na massa.

Ser líder não é mandar

Houve um tempo que a palavra do chefe valia ouro. Os subordinados apenas faziam aquilo que mandavam executar e, se algo dava errado, ainda pagavam o preço, pois ele quase nunca levava a culpa.

Com o tempo, percebeu-se que o papel do líder não é apenas o de dar ordens, mas, principalmente, o de conduzir o time até o objetivo traçado. Liderar, então, é um processo que passa por várias etapas, entre elas dar o exemplo, ouvir as sugestões e reclamações do time, inspirar objetivos maiores, resolver os conflitos e distribuir os prêmios.

O líder costuma ser aquele tipo de indivíduo capaz de enxergar além daquele pouco que cada pessoa enxerga, de entender não apenas a parte que lhe cabe, mas o negócio completo da empresa, o panorama do mercado e se encaixar nesse movimento.

Dessa forma, o líder de qualidade não manda porque não precisa. Os subordinados fazem o que ele quer porque entendem ser o melhor caminho e os superiores o endossam porque entrega resultados.

Resultados e o lado humano

Essa é a equação a ser resolvida todos os dias. O papel do líder é o de encontrar a melhor relação entre a busca pelo resultado e o fator humano da equipe. Se o time percebe que trabalha em demasia, sem qualidade de trabalho ou de vida, apenas para alcançar as metas, ele para de seguir o líder.

A equipe deve ser motivada e é papel do líder fazer isso. Para motivá-la, é preciso que as metas gerem benefícios para todos, seja na forma de promoções, premiações ou quaisquer outras coisas que são enxergadas como uma meta pessoal. Por isso, é necessário conhecer a equipe, identificar o que ela deseja e lhe dar não o que quer, mas o que precisa para chegar ao objetivo.

Administração de tempo e recursos

Há quem diga que o bom líder é aquele que chega primeiro e sai por último, mas essa pessoa é apenas desorganizada. O papel do líder é também fazer as atividades de forma correta, sabendo priorizar e, assim, realizando o trabalho durante o expediente normal.

Quando as horas extras se tornam normais, algo está muito errado na forma como se trabalha ou a equipe não tem gente suficiente, e contratações são necessárias. O mau líder é aquele que tenta tirar mais do que os funcionários são capazes de entregar e acaba criando um clima de descontentamento na equipe.

Conheça a si mesmo

Quando se chega ao posto de líder, perde-se o direito de participar das “rodinhas de fofoca” e fica mais difícil saber o que o time pensa realmente da sua pessoa. Haverá aqueles que se distanciarão em virtude da diferença hierárquica e aqueles que se aproximarão em busca de benefícios.

O papel do líder será o de ser justo: se ele beneficia os amigos, e não o negócio, pode ser o criador de desavenças na equipe. É preciso manter uma distância segura e profissional.

Uma das formas de se conseguir esse autoconhecimento é com o coaching. Esses profissionais são treinados para identificar e corrigir pequenos desvios de conduta que, como líder do time, você não tem mais o direito de cometer.

Esse processo de autoconhecimento o fará perceber as características em você que o colocaram no papel de líder e como fazer para reforçá-las, ao mesmo tempo que encontrará as características que podem levá-lo ao fracasso e as formas para suprimir, alterar ou destruí-las por completo.

O papel do líder não é simples. Ele exige trabalho duro, sensibilidade e melhoria contínua para instigar outras pessoas a fazerem naturalmente aquilo que é necessário para o sucesso do negócio. Ser um bom líder é possível para qualquer um, desde que haja humildade para uma autoanálise e vontade de estar em constante mudança.

Quer nos ajudar a tornar esse artigo ainda mais rico e completo? Você pode. Deixe o seu comentário, a sua opinião, a sua experiência em relação ao que acabamos de discutir. Assim, mais pessoas ficarão bem informadas sobre importantes assuntos de liderança.