O coaching ainda é relativamente novo em nosso ambiente e, por isso, muitas dúvidas e preconceitos ainda pairam nas cabeças das pessoas. Uma das mais comuns é a de quem está capacitado para fazer coaching, pois muita gente acredita que o processo não é para qualquer um, que depende de idade, condição social ou nível educacional.

Por isso, preparamos este artigo para responder em quais casos ele é indicado e se outras técnicas ou serviços terão melhor êxito. Siga com a gente e entenda mais sobre esse método capaz de transformar vidas.

É preciso ser velho para ser coach?

Há quem diga que pessoas jovens não podem fazer coaching. Para alguns, sem uma certa idade não há maturidade ou experiência necessárias para um profissional da área.

A falta de idade pode trazer alguns desafios, mas também traz vantagens. Uma delas é o conhecimento mais próximo de pessoas da mesma geração. Um coach jovem consegue entender como uma pessoa de idade parecida pensa e pode propor soluções de acordo.

Outra faceta é a tecnologia: jovens, naturalmente, estão em dia com tudo que o mundo moderno oferece em termos de tecnologia e podem compensar a falta de vivência com criatividade e recursos tecnológicos.

Por isso, não há idade para ser coach, nem mínima nem máxima.

É preciso nível superior para ser coach?

A faculdade era vista até algum tempo atrás como uma instituição definitiva na vida dos indivíduos. Você só era “alguém na vida” caso tivesse completado com sucesso um curso universitário.

Nos dias atuais, com o acesso mais fácil a todo tipo de curso, a faculdade perdeu parte do valor e muitos profissionais passam por ela como apenas mais uma etapa de suas vidas. Afinal, é no dia a dia, no trabalho, nas experiências pessoais, na vivência que se forma a real experiência do indivíduo.

Respondendo então à pergunta se é necessário um nível superior para fazer coaching, a resposta é: não. O curso universitário é apenas uma das várias formas de se adquirir conhecimento e experiência nessa vida, mas não é um pré-requisito.

Claro que, quanto mais conhecimento acumulado, mais gabaritada a pessoa se coloca para o mercado; então, a faculdade, a pós-graduação, o mestrado e o doutorado são sim itens interessantes para o coach, assim como o são para qualquer outro profissional.

É preciso ser chefe para ser coach?

Quem nunca trabalhou ou conhece alguém que trabalhou em uma empresa na qual o chefe era uma pessoa completamente desqualificada para o cargo? Quem nunca viu chefes completamente incapazes de lidar com seus funcionários com respeito? A resposta para essas perguntas indica que ter sido chefe não qualifica ninguém para fazer coaching.

Em contrapartida, muitas vezes, nos deparamos com pessoas com grande capacidade de observação: podem ser engenheiros, médicos, advogados ou um balconista de uma loja e até uma profissional do lar. São pessoas capazes de ouvir com atenção e empatia para, em seguida, aconselharem e guiarem aqueles que lhe falavam.

Para fazer coaching, não é preciso ter sido chefe de ninguém, já que isso não é qualificação; por outro lado, é claro que bons líderes têm grandes chances de serem ótimos coaches. Mas isso vem muito mais da aptidão de cada pessoa do que dos cargos por ela já ocupados.

Não é preciso ser o capitão do navio para entender de navegação.

Para ser coach, precisa ser empresário?

Esta é outra dúvida comum no mundo do coaching: para fazer coaching, é preciso ter sido empresário, já que a administração nos dá as ferramentas para conduzir e entender como gerenciar a vida de outras pessoas?

Ser empresário traz experiência. Mas trabalhar como vendedor ou técnico também traz. É preciso ter em mente que o sucesso não é apenas ter uma empresa própria. Pessoas podem ser bem-sucedidas em diversas áreas, como a artística, a esportiva, como um pesquisador ou influenciador digital.

Até mesmo pessoas consideradas malsucedidas pela sociedade podem fazer coaching. Experiência ruim também é experiência. Saber o que não fazer é tão importante quanto saber o que fazer.

Podemos chegar à conclusão de que fazer coaching nada tem a ver com profissões ou formações específicas. Mais importante do que isso é ter aptidão para ser coach e vontade de aprender.

Experiências prévias em qualquer área são desejadas e poderão ser utilizadas em futuras especializações, mas também não são mandatórias. O que vale na hora de fazer coaching é a sua vontade de ser também um transformador de vidas.

Quer saber mais sobre assuntos interessantes como esse? Então, siga nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdo atualizado e novidades, além de poder sempre interagir conosco.